segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Riqueza do prazer

Garoeiro – Natal, RN, 25 de setembro de 2017.









No fundo vive-se pouco a existência,
Sonho sempre por viver, me convenço;
A vida é o inalcançado na insistência,
E o teco que se alcança ante o pretenso.

Aos naufrágios no mar da desistência,
A vida não vivida acena o lenço;
De tudo, o bem que vale essa insolvência,
Pagam os gozos de prazer intenso.

Porque destrava e essencialmente acende,
No não ser do prazer o ser transcende
Seu contingente trágico real.

Ao propelir a ansiedade intensa,
Prazer conduz ao ganho que compensa
A economia existencial...

domingo, 24 de setembro de 2017

De montanhas jamais removidas...

Garoeiro – Natal, RN, 24 de setembro de 2017.












Bem sei em vós admirá-la, ó, crentes,
Mas a fé não pautei no meu caminho:
Autoconvencimentos excelentes,
Instou-me a vida descartar cedinho.

Fazendo parecer em vossas mentes,
Ser amaro sorveis como bom vinho,
E os não serdes jamais, independentes
Do absurdo diário comezinho.

Por bem com fé tratais tanta maldade
Na crença que a injusta realidade
Um ombro vence carregasse cruzes.

Do que descrendo sempre, esconjuro,
Patrocínio do medo ao escuro,
Contra o claro futuro e suas luzes...

sábado, 23 de setembro de 2017

Anseio comunista

Garoeiro – Natal, RN, 23 de setembro de 2017.

















Mais do que satisfação,
De revezes sobrevivo,
Com bem mais decepção
Que penhor substantivo.

Se aceitasse a condição
De mero moço cativo,
Acederia ao podão
Globalmente impositivo.

Daria com devoção
Sonho infinito em que vivo
Por qualquer ocupação
De pagamento nocivo.

Cumpriria sem noção
Meu emprego proativo,
Agradecendo ao patrão
Pelo esbulho aquisitivo.

Mas venho do que virão
Os tempos do intransitivo:
Anseio revolução
Contra o mundo em que convivo...

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Um caminho...

Garoeiro – Natal, RN, 22 de setembro de 2017.













Ver logo tantos querem a borracha
Nos males que sofremos se passar,
Fora seguir em frente apagar
No esquecimento o doloroso racha.

Minha dor para sempre ninguém acha
Motivação para se preocupar,
Dispondo da ilusão de se drogar
No chá que falsamente desempacha.

Meu mundo de atores e atrizes,
A nos mentir que estão todos felizes,
Sou exceção sofrendo aqui sozinho.

Mas por amor aceito o desafio,
Meu mal não passo e não renuncio,
De minha dor fazendo o meu caminho...

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

A lei e seus donos...

Garoeiro – Natal, RN, 21 de setembro de 2017.

















Nossas cortes superiores
Urdem manipulação
Com juízos novadores
Conforme a ocasião...

Lei é reta direção
Sem acaso nem esquina:
Cuida cada opinião
Ao largo de quem opina.

Não há pior retrocesso
Na alma do tribunal
Se a sentença no processo
Vem ditada no jornal.

Pois pensa o justo a respeito:
“ Um judiciário injusto,
Dono da lei, do direito,
Torna o crime mais robusto... ”

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

A esperança

Garoeiro – Natal, RN, 20 de setembro de 2017.
[O supérfluo não é teu, roubaste-o! ” – Michel Quoist ]


















Das classes sociais a divisão,
Para quem tudo tem dar mais opera,
Num triste enriquecer que depaupera
Pela desigualdade a união.

Do abuso proprietário é pretensão
Que tendo seja mais do que se espera,
Como se a posse fora essa quimera
Que salva o crime da acumulação.

Os condenados dessa injusta herança,
Sobre despojos, nós tão só dispomos
Pela roubada vida, de esperança.

Nutrido de alimento assim tão doce,
Todo o não ser que somos e não fomos,
Jamais será, mas é como se fosse...

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Governar de novo...

Garoeiro – Natal, RN, 19 de setembro de 2017.














De minha agora perdida
Tão sincera lealdade,
Onde estás, lira vencida,
No caos da barbaridade?

Se nunca foi colorida
Nem fruída na bondade,
Por sua alma ferida
Cantaste outra realidade.

Uma Esquerda traduzida
Na força e na qualidade
Do amor à causa querida,
Contra o Dragão da Maldade.

Canção sendo destruída
Na pusilanimidade,
Na mina reproduzida
Da nova continuidade...