quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O sentido da vida

Garoeiro – Natal, RN, 17 de janeiro de 2018.












Dispuseram poder ser resumido
Melhor na busca da felicidade,
O que seja da vida o seu sentido
Humano, acima da desigualdade.

Na longa busca o sonho preferido
É a gente amar como prioridade,
Que o mundo impede venha a ser ungido,
Impondo a sua injusta realidade.

Nessa frustrante salvação de amor,
Renhidos de experimentar a dor,
Porém, sem ver a justa equivalência,

Nem consagrada a reciprocidade,
Cuidamos muito de sobrevivência,
Mas muito pouco da felicidade...

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Entregas...

Garoeiro – Natal, RN, 16 de janeiro de 2018.
















Só de ganhos por tudo o que perdia
Te amava e inesquecivelmente tremo,
Que a entrega absoluta que sentia
Dói nesta evocação que à alma algemo.

Mas, mesma entrega tua nunca havia,
A não ser no voo transcendente extremo,
Que atento eu raramente pressentia
Sob o advento do prazer supremo...

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

O show...

Garoeiro – Natal, RN, 15 de janeiro de 2018.











Quero muito ser quem sou,
Meus tantos outros negar,
Mas o mundo só aprovou
Gosto de fantasiar.

Fantasiado só estou
Minha essência a disfarçar,
Parecendo que me vou
Em quem não sou transformar.

Quem eu era se cansou
De outro a mim representar,
Parecesse a vida um show
Para curtir e agradar...

domingo, 14 de janeiro de 2018

Duas mãos...

Garoeiro – Natal, RN, 14 de janeiro de 2018.















Dor que a morte reconforta
Talvez só me consolasse
Se já estivesses morta
E eu de ti me lembrasse.

Quando a extinção fecha a porta
Ela instaura um desenlace
Que qualquer encontro aborta,
Sem que a eternidade passe.

Acontece que me corta
Em dois o amoroso impasse:
Na mão viva que te exorta,
Morre a que não mais te abrace...

sábado, 13 de janeiro de 2018

Argumentos...

Garoeiro – Natal, RN, 13 de janeiro de 2018.










De eu me acabar por que tudo acabara
Sempre argumentas com discernimento
Meu erro de cuidar, tal joia rara,
O nosso reles relacionamento,
Que a conveniência, sem parar, separa.

Se entendo o que teu argumento encara
Na razão do meu triste sofrimento,
Sedenta, no deserto do Saara,
Te indaga a minha falta de argumento:
- E aquele imenso bem que nos sonhara?

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

O curativo

Garoeiro – Natal, RN, 12 de janeiro de 2018.












Nossa alma é uma caverna
Cheíssima das vazias
Dissuasões do conflito,
Que a insone noite inferna
Com suicidas fantasias
Salvas por força do rito.

O amanhã que nos governa
Busca encher-se de magias
Lá, do futuro bendito,
Porém, a glória moderna
Propagando o horror dos dias,
Consagra o cifrão maldito.

Passo que ignora a perna
Apesar das ousadias,
Vai cansar antes do apito;
Vencer, derrotar, externa
No fragor das tropelias,
O velho ganhar no grito.

Reconditamente interna,
Ante um tempo de morias,
Nossa essência nega o atrito:
Sua vocação eterna
É curar com utopias
A propensão de delito...

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Trote de telefone

Garoeiro – Natal, RN, 11 de janeiro de 2018.

















Chamadas de telefone
Que mudíssimas se calam
Todo dia repetidas,
Depois de anos alone,
Por seus silêncios me falam
Serem ex arrependidas.

Ultrapassado o ciclone
Que as traições desabaram,
Cicatrizam-me as feridas,
Sem que o bálsamo ressone
Nos jungidos que tramaram
Minhas esposas queridas.

Não há prazo que abone
Por mais tempo que comprazam
As nossas paixões traídas:
Mesmo que o trovão não trone,
Nos anseios que discaram
Há culpas desatendidas...