sexta-feira, 20 de outubro de 2017

A dor do nó do esquecimento...

Garoeiro – Natal, RN, 20 de outubro de 2017.
[ Para: Suzana, amiga inesquecível... ]













Contra meus tristes nós do esquecimento,
Contra essa tristeza com que se esquece,
Amorosa lembrança comparece
Ao que acaba mas tem renascimento.

Esse tudo acabado é um sentimento
Cego ao que continuamente tece
Silenciosamente em sua prece,
O amor que extrapola o rompimento.

Com que concordo absolutamente
Na grata fruição sobrevivente,
Vivendo o que depois do fim prossigo.

Sem incluir inesquecido algoz,
Que remoendo em meio àqueles nós,
Esquecido me fez só por castigo...

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Detalhes da paixão...

Garoeiro – Natal, RN, 19 de outubro de 2017.











Por cumprirmos agenda social
Sob o véu de casal de professores,
Viviam nossos interlocutores
Repertórios de intelectual.

Mas nas noites da educação carnal,
Aprendendo a verdade dos amores,
Passávamos a deseducadores,
Como a buscar o bem dentro do mal.

Pois de comuns amantes nós virávamos
Locutores do gozo que nos dávamos,
Que há mais gozo no amor que se irradia.

E as coisas feias que a gente fazia
Ganhavam uma exímia excitação,
Com tua pervertida locução...

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Realidade e magia...

Garoeiro – Natal, RN, 18 de outubro de 2017.










Sob o sopro desta brisa
Minha pele se resfria
Por uma ternura lisa,
E outra ternura macia.

O enternecimento a frisa,
E suavemente arrepia,
Nesta sensação precisa
De geral anestesia.

Prazer tanto rivaliza
Realidade e magia,
Que minh’alma indecisa,
Porfia a cenestesia...

terça-feira, 17 de outubro de 2017

No Cemitério São João Batista...

Garoeiro – Natal, RN, 17 de outubro de 2017.










Ao viçar mais que os demais,
Embora no cemitério,
O florido cajueiro
Vem abrir para mortais
A verdade do mistério
Que oculta o anjo posteiro.

Restos existenciais
Bem drenados no minério,
Desafiam o coveiro,
Nutrindo vida em canais,
A que o finado funéreo
Seja, jamais, derradeiro...

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Valsinha...

Garoeiro – Natal, RN, 16 de outubro de 2017.










Com a mágoa dos azares,
Por minha tristeza valso
Diária ronda nos bares,
Lacrimejando, descalço,
Meus de Aquiles calcanhares...

A ver alheios chorares
De chororô por percalço,
Esse choro só de esgares,
Nenhuma lágrima, falso,
Sem a mágoa dos azares...

domingo, 15 de outubro de 2017

Viajando na maionese...

Garoeiro – Natal, RN, 15 de outubro de2017.
[ Para: Camarada Tenorinho, in memoriam... ]














Ao provar do mel de tuas colmeias,
Meus salgados amargores bisonhos
Viram na cabeça boas ideias,
E inundam a alma com novos sonhos...

Reuniões com multidões ateias,
De morte juram os nossos demonhos;
Várias incendiárias assembleias,
Clamam por justiçamentos medonhos...

E já renasço lá nas multidões
Relendo tão históricas lições,
No festival das bandeiras vermelhas...

Sinto, porém, que de os viver sonhados,
Não reverei nossos sonhos passados,
Pois faltam sonhos, chamas e centelhas...