segunda-feira, 23 de abril de 2018

A menina na praia...

Garoeiro – Natal, RN, 24 de abril de 2018.








Dona da situação,
Brinca na praia a menina;
Brinca no seu coração
Tudo o que sonha e imagina.

Viver de imaginação
Sob inspiração marina
É suprema salvação
Para a essência genuína...

domingo, 22 de abril de 2018

A rede de Rubem Braga

Garoeiro – Natal, RN, 23 de abril de 2018.











A vida que o mundo esmaga,
Todo o horror que a gente traga,
O tempo na rede apaga.

Minha rede é um piaga
Com cuja invocação vaga
Vem-me o verso cura-chaga.

Só pelo gozo que afaga
No sonho que é sua saga,
Poesia se propaga.

Tanto que na etérea plaga
Minha lembrança divaga
Na rede de Rubem Braga...

sábado, 21 de abril de 2018

Cinema

Garoeiro – Natal, RN, 22 de abril de 2018.







Via quando era pequeno
Pelo faz-de-conta esquema,
Poesia que armazeno
Virar filme de cinema.

Na feiura do terreno
Não via nenhum problema,
Pois era um cenário pleno
Para encenar qualquer tema.

Eu – elenco – coordeno
Aquela aventura extrema:
Aos vilões que contraceno,
É flecha, tiro e algema.

Fazer-me esse herói heleno
Foi um claro estratagema
A que a vida por seu dreno,
Flua em forma de poema...

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Sou inocente

Garoeiro – Natal, RN, 21 de abril de 2018.











Se em cinco famílias o bom já fui,
Sonho que vivo, ali, a partilhar,
Por que qualquer convívio me exclui
Impondo a rejeição familiar?

Que diluir-se em filhos contribui
A que intruso me veja no meu lar,
É um velho senso meu que se dilui
No exercício de prover e cuidar.

Querer que a relação não se estiole
Sob a cruz do domínio mãe-com-filho,
Não culpa esposa, nem condena a prole.

Despachado, entretanto, ao exílio,
Morto para as famílias do passado,
Renego a condição de condenado...

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Já perto do fim...

Garoeiro – Natal, RN, 20 de abril de 2018.















Mente sã é fundo leito
Por onde flui poesia:
Rio largo agora estreito,
A vazão influencia.

Esse aperto no meu peito
Trava o verso que fluía:
Cada sentido é desfeito
No desengano do dia.

Sei que vou perdendo o jeito
Na conjuntura vazia,
Onde um poema é defeito
De obsoleta valia.

Nunca achei ver bem aceito
O sonho que perseguia;
Motivo, hoje, a despeito,
Para o seu fim se anuncia...

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Transcendente amor

Garoeiro – Natal, RN, 19 de abril de 2018.














O amor que todo o mundo diz que entende,
De a vida inteira, ali, amar querendo,
É feito de uma essência que transcende
O que a separação deixa devendo.

Acabar logo não mais surpreende
No espanto de ninguém ficar sabendo;
Sinal dos tempos, mas que não ofende
A amorosa lei acontecendo.

Do fim, numa palpitação interna,
Anseia sempre a lei que seja eterna
A união morta na separação.

Prova é seguir a amar o coração
Num sincero amor sem nenhum suporte,
Até amando mais após a morte!

terça-feira, 17 de abril de 2018

Gente aposentada...

Garoeiro – Natal, RN, 18 de abril de 2018.












Viver fazendo aquela coisarada,
Sempre aplicado com denodo santo,
Resumia: Faz parte do meu show!
Agora, já no fim da caminhada,
Se tudo lembro aqui neste recanto,
Só ser ex-tanta-coisa me restou.

Sorte assim posta é logo criticada
Fosse, ceticamente, desencanto.
Por todo canto, no entanto, que vou,
- Irônico consolo da jornada! –
É gente aposentada sem mais quanto,
E até tantos, piores do que estou...