quinta-feira, 2 de março de 2017

Regador

Garoeiro – Natal, 2 de março de 2017.

















Por recusar que aparência
Explicasse o que aprendi,
Nas jardinagens da essência,
Tantas vezes me perdi.

O que é dorme em potência
Guardada no seu em-si,
Alheio a qualquer tendência
De se abrir num para-si.

Filosofia e Ciência
Sondam o que há por ali,
Lei por cuja experiência
Brota o que sei e entendi.

E embora veja a vigência
Se achar de estar nem aí,
Gasto esta minha existência
Regando o que conheci...

Nenhum comentário:

Postar um comentário