terça-feira, 11 de abril de 2017

Lei da autoridade

Garoeiro – Natal, RN, 11 de abril de 2017.











Quem vive em recintos judiciários
Conhece de injustiças a verdade,
Vendo mover provimentos diários
A corrompida lei da autoridade.

Dá, ela, encaminhamentos vários,
Por direito de relatividade,
Conforme os saldos que os destinatários
Potencializam na sociedade.

Manipula o jurisprudenciado
Para o justo restar injustiçado,
E sempre impune rico criminoso.

E quando ensaia farsa justiceira,
Mais faz o crime – coisa corriqueira –
Compensatoriamente poderoso.

Um comentário:

  1. Parabéns, muita sensibilidade e conhecimento humano presentes nestes versos!

    ResponderExcluir