quarta-feira, 17 de maio de 2017

Abismos da Razão

Garoeiro – Natal, RN, 17 de maio de 2017.













Quando tinha só um ano
Tive a mais doce ternura
E o afeto soberano,
Ao sentir a deliciura
De banho e troca de pano,
O conforto da candura
No materno amor ufano
Em mãos cheias de brandura.

Que ao gozo de tal glória
Nenhuma comparação
Possa achar na longa história,
É minha convicção;
Mas só vem na compulsória,
Que a divina iniciação
Foi cair-me da memória
Nos abismos da Razão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário