terça-feira, 2 de maio de 2017

Quando amanhece...

Garoeiro – Natal, RN, 2 de maio de 2017.











Tal quem não chega é como a manhã vem,
Num clarear de galos, passarinhos,
E da noite vedada de caminhos,
Ruas vão ressurgindo sem ninguém.

Não prenuncia algo que luz contém
E fosse se acendendo aos pouquinhos:
É essa demora que escuros sozinhos,
Abrir relutam as sombras que têm.

Por isso, antes de um palco iluminado,
O dia é esse escuro sombreado,
Que a noite que não quer partir, demora.

Cantando os bichos rompem o véu mudo,
Mas é a força maior que muda tudo,
Quem há de impor a luminosa aurora...

Nenhum comentário:

Postar um comentário