sexta-feira, 28 de julho de 2017

Mulheres

Garoeiro – Natal, 28 de julho de 2017.











Cai só a herança da maternidade,
Sobre a mulher com seus grilhões de anos,
Na mais pesada causa de seus danos,
Dentro da lei da hereditariedade.

Ovário, reprodutibilidade,
Que a tradição vive a cobrir de ufanos,
É o jogo que opressores veteranos
Impomos à mulher sem piedade.

Opressão que jamais a História lava,
Daquela eterna condição de escrava,
Parindo, louca, o futuro na dor.

Constatação que indiferente a filhos,
Tanto me faz amar fora dos trilhos,
Dando às mulheres todo o meu amor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário