quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Escolha estoica

Garoeiro – Natal, RN, 30 de agosto de 2017.














Foi quando achava a vida um mar de rosas,
Minha turma de vida dissoluta,
Dizia das putas maravilhosas,
A fim de me deitar com prostituta.

Em noitadas carnais esplendorosas,
Tão detalhadas para a minha escuta,
Pintavam suas farras mais gostosas,
Assediando-me a provar da fruta.

Em sendo companheiros e vizinhos,
Bebendo sempre juntos nos bailinhos,
Bordel não vi nenhuma vez sequer.

Certo que é graças à preservação
Que todo o gosto fez meu coração,
Do que é amar de verdade a uma mulher...

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Dona Maria...

Garoeiro – Natal, RN, 29 de agosto de 2017.













De velhos desamparados arrimo,
E velhice alimenta desamparo,
Queria todo o dia amar ao próximo,
Espontânea alegria em seu disparo...

O ínfimo que dava era o máximo
Para mãos no abandono sem reparo,
Além do envelope, um livro, um mimo,
Seu gesto absolutamente raro...

Tantos anos correu diariamente
Naquela peregrinação contente,
Dividindo a aposentadoria...

Com já dois meses sua eterna ausência,
Essas faces grisalhas da carência,
Viverão como sem Dona Maria?...

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Da resistência...

Garoeiro – Natal, RN, 28 de agosto de 2017.

















Injusto acaba essencialmente o amor
Contra a sua raiz na eternidade...
De todo o acabamento é causador
O falso apego da modernidade.

Crer na adversidade algum valor
Impõe a morte da sinceridade:
Na paixão só existe vencedor
A partir da loucura da vontade.

Nenhuma conjuntura do moderno
Uma chama suscita do eterno,
Bem que derrota o que separa, unindo.

E é o mundo império da separação,
Contra amor, convergência e união,
Porém, em sua essência, resistindo...

domingo, 27 de agosto de 2017

Garoeiro da triste figura...

Garoeiro – Natal, RN, 27 de agosto de 2017.










Eu reconheço em mim mais amargura,
Pois sinto amargo tudo o que assimilo;
Bem quer meu coração a distraí-lo
Qualquer antiga aragem de doçura.

Tão contente já foi minha escritura,
Verso feliz de esperançoso estilo;
De tanto o canto ter no mundo asilo,
Poeta, eis-me, da triste figura...

De sua escrupulosa indiferença,
Sei que mangam de mim por tal doença,
Líricos do mais vil distanciamento.

Se poesia com fama no momento,
Verso a adoçar, indiferente, omisso,
Menos pior deixasse o mundo nisso... 

sábado, 26 de agosto de 2017

Depende muito...

Garoeiro – Natal, RN, 26 de agosto de 2017.










Na estatística eterna,
Que conta o que nos inferna,
Tem cada crime um intuito.

Nessa operação mecânica,
Essencialmente tirânica,
Não existe ódio fortuito.

Mesmo assim o preferente
Anseio de tanta gente
Para o Amor depende muito...

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Vencida forma de luta...

Garoeiro – Natal, RN, 25 de agosto de 2017.










Quando crescer hei de ser terrorista,
Combatente na causa radical
Que instiga o mal a detonar o mal,
Se já não temos bem algum à vista.

Resistência na luta legalista,
Neste horror ultra neoliberal,
Ou faz que muda mas fica tudo igual,
Ou chora ao ver ruir cada conquista.

Sagrado nas batalhas do passado,
Mais persiste o comando bitolado
Na luta vã que não enxerga o novo.

Que em guerra esquiva dissemina a morte,
E voz nenhuma ante a maldita sorte,
Diz que é melhor morrer lutando ao povo...

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Nós do esquecimento

Garoeiro – Natal, RN, 24 de agosto de 2017.












Tive na dor que um fim de amor prescreve,
Na tolerância amiga que aquiesce,
Voz que ouve, estimula, reconhece,
A quem a gente o coração descreve.

Mas tanto essa consolação é breve
Que involuntário esgarçamento tece
Os nós por onde o esquecimento esquece,
Botando a interlocução em greve.

Por nada as admirações se vão
Para restar da comunicação
Um ou outro raríssimo contato.

Que já não é sofrer outra desgraça,
Se tendo mão amiga tão escassa,
Dou-me por basto em meu próprio recato...

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Dores hierárquicas...

Garoeiro – Natal, RN, 23 de agosto de 2017.






A primeira combinação na guerra
É a que nós aos de cima subordina,
Num jogo que a convicção afina,
Pois o alto comando jamais erra.

Essa lógica hierárquica encerra
Sensatez que a insensatez determina,
E quase nada que um fracasso ensina,
Depois que a estratégia cai por terra.

Este momento atroz da militância,
Ultrapassada a incerta circunstância,
Trai a velha adesão absoluta.

Por ver que finda a direção devota,
Doerá nunca neles a derrota,
Mas em nós só que travamos a luta...

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Rainha das Sementes

Garoeiro – Natal, RN, 22 de agosto de 2017.

















Na fruta da sobremesa
Santa gula acomete
As bocas de toda a mesa,
Mas minha mãe, Dona Odette,
Sorvia ali, sem surpresa,
Outro prazer que promete.

E a mesa percebia
Não na boca degustada
Estava a sua alegria
Com a fruta desfrutada,
Mas no depois que antevia
A semente enterrada.

Cuidando brotos nascentes
Com a mão semeadeira,
Semeaduras contentes
Ao longo da vida inteira,
A Rainha das Sementes,
É Dona Odette Pereira...

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Meteorologia

Garoeiro – Natal, RN, 21 de agosto de 2017.
[ Para: Lua, hoje eclipsando o Sol... ]


















Nesta chuva prolongada,
Filha de verão tardio,
Punge em minh’alma molhada
Velho anseio erradio.

Cuja hora é represada
Sob fastio sadio,
Que adia a caminhada
No piso escorregadio...

domingo, 20 de agosto de 2017

Feicebucanos e Tuitinos...

Garoeiro – Natal, RN, 20 de agosto de 2017.










Vejo na Blogosfera desfilar,
Num triste carnaval de desamados,
Além dessa facilidade de opinar,
Crescente a cega fé nos pré-julgados.

Essa loucura de tal Deus se achar,
Que está em impor aos outros os pecados,
Estreita a banda larga a enganar,
Para fazer bizarros, consagrados.

Inimigos, vencer ou mutilar,
Ou sejam prontamente exterminados,
Eis o veneno que vêm destilar,
Os que descartam ser contrariados.

E o milagre digital a nos dar
A plenitude dos comunicados,
Virar, nessa torcida de odiar,
Só comunicação dentre odiados...

sábado, 19 de agosto de 2017

Fado Potyguar

Garoeiro – Natal, RN, 19 de agosto de 2017.












Disse-me Amor no passado:

- “ Dá-me tudo que sou rijo! ”

Quando o Sonho havia dado:

- “ Por meu rumo eu só dirijo! ”

Já com meu corpo legado:

- “ Dar-me-ás o mais que exijo! ”

Tendo a alma despachado:

- “ Cuida, jamais, que transijo! ”



Hoje velho e desfalcado:

- “ Na resistência me aflijo... ”

Peço eu, ao Bem-Amado:

- “ Silêncio, no esconderijo... ”

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

A explicação

Garoeiro – Natal, RN, 18 de agosto de 2017.
















A névoa conjuntural
Que a nossa alma povoa
Desanima o pessoal
E a luta desacorçoa.

Pela explicação causal
A sociologia voa
No insano festival
Que a política ecoa.

Quando o fundo essencial
É o sistema que magoa,
Pois nos quer vivendo mal,
E sofrendo numa boa...

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Gil e Maria Amélia...

Garoeiro – Natal, RN, 17 de agosto de 2017.













De joelhos eu me arrosto
No espelho desse instantâneo:
Os olhares que mais gosto,
Num autêntico espontâneo!

Com boa lente eu aposto,
No luzente coetâneo,
Pois iluminando o rosto,
Salva-se o átrio cutâneo.

Mas o além que aqui acosto,
Vê o semblante sucedâneo
Vir do amor que há muito posto,
Sutilmente consentâneo...

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Rostos na caminhada...

Garoeiro – Natal, RN, 16 de agosto de 2017.










Dialética inspiração me esvai
Pelo rotineiro encaminhamento:
Vejo só rostos tristes, sofrimento,
Nenhum semblante alegre sobressai.

Contra o verso cinzento que aqui sai,
Poesia mordaz do desalento,
Ah, como anseio o contentamento,
Que a dura tez de toda a gente trai.

De ver que achar-se bem é uma mentira,
Sigo na caminhada que me inspira,
Por uma sorridente face rara.

Mas, por mais ânsias que minh’alma tenha,
Encontro o mundo que sorrir desdenha,
Que ameaça, maltrata, e separa...

terça-feira, 15 de agosto de 2017

A glória do prazer

Garoeiro – Natal, RN, 15 de agosto de 2017.











O bem mais exigente é o prazer,
Sutilezas compondo na exigência,
Que em só a mais apurada consciência
Nos vem a plenitude merecer.

Prazer ruim, pequeno, há que ver,
Tão trocado na maior displicência,
É a mais desprazerosa incoerência
Que sem parar nos dá o mundo a crer.

Qualquer coisa, de qualquer modo o gozo,
Em qualquer tempo, ou com qualquer um,
É o dado desperdício mentiroso.

Sempre em pouco prazer não há nenhum,
Pois só o que é gozado plenamente
Faz o gozo da alma essencialmente.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Mais uma ilusão...

Garoeiro – Natal, RN, 14 de agosto de 2017.














Nas duas salvações ao meu dispor,
Que longe de retórico truísmo,
Guiam meus passos à beira do abismo,
A vida vou vivendo só de amor.

Traz o primeiro alento salvador
Um futuro vencendo o egoísmo,
Acabado, em segundo, o mecanismo
De fazer quem é rico vencedor.

Causa em que empenho a minha vida inteira,
Trégua de amar concebe passageira,
Ciente que demora a nossa hora.

Convicção que não me impede embora,
Sonhe alheio meu pobre coração,
Inda assim com mais outra ilusão...

domingo, 13 de agosto de 2017

Difícil amor...

Garoeiro – Natal, RN, 13 de agosto de 2017.

















Em todo o astral sofrido, trabalhado,
Neste mundo que só dinheiro anima,
Amor, contra viver desanimado,
Dá que a potência interior se exprima.

Só que jogo de amar e ser amado,
Impõe que o desejo se reprima,
E encontrar hoje assim, no resultado,
Até amar sem amor conforme o clima.

Mas o anseio é se amar quanto puder,
E a sensação é inteiramente boa,
No embalo para o que der e vier.

A ver, após o fim, por mais que doa:
Ninguém ama no que o coração quer,
Amamos resistindo ao que magoa...

sábado, 12 de agosto de 2017

Oásis no deserto

Garoeiro – Natal, RN, 12 de agosto de 2017.

















Vossa glória é uma duna
Por onde sonhando hiberno,
Sob o deserto onde aluna
A areia do que é moderno.

Vosso poder e fortuna
Vão sonhando o céu no inferno,
Quando é Amor que coaduna
Futuroso bem eterno...

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Esperando o povo...

Garoeiro – Natal, RN, 11 de agosto de 2017.







Não nego à grande luta brasileira,
Inerte em afluir de seus remansos,
A glória incontestável dos avanços
Inscrita na história verdadeira.

O exame em raio-x dessa fieira,
Na cruz que apura o saldo dos balanços,
Desespera de ver corações mansos
Em fuga eternamente da trincheira.

Até as nuvens, os rios, as montanhas,
Têm claro venha o mal lá das entranhas,
No histórico labor de toda a gente.

Em cuja nacional dominação,
Nem Deus fará uma limpeza decente,
Se o povo não fizer revolução...

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Consolo revolucionário...

Garoeiro – Natal, RN, 10 de agosto de 2017.













A debandada atroz vinda no vento
De aliados da fé na meia-luta,
Nos dizima pelo convencimento
De vitoriosa a trincheira astuta.

Contra dor me acudiu prosseguimento,
Motor da paz que a alma hoje desfruta,
À margem dessa esquerda cata-vento,
Por sua ideologia irresoluta.

Por seu entendimento que em resumo,
Ao só pautar avanço no consumo,
Trai o povo na busca do caminho.

Seja, pois, vossa derrota ensejo
Para lembrar a luta que almejo,
Por mais um pouco, só mais um pouquinho...